Pão de queijo Seu Ninico: negócio próprio cresce e prospera no Brasil

postagem 30 de abril de 2013

Pão de queijo Seu Ninico

Estudo do governo mostra evolução da formalização e seus reflexos na renda de empregados e empregadores em 10 anos.

Reprovado numa matéria no curso de engenharia, Guilherme Lima, de 25 anos, foi impedido pelos pais de viajar com a família para o exterior. O castigo, porém, foi um passo importante para que o rapaz se tornasse um empresário responsável: como queria muito passear fora do país, ele começou a vender travessas de pão de queijo feitas pela mãe. O negócio prosperou e lhe rendeu dinheiro suficiente para conhecer a Austrália. De volta ao Brasil, decidiu abrir o próprio negócio, mas formalizado. “Convidei alguns amigos e, em dezembro de 2010, compramos uma pequena fábrica de pão de queijo. De lá para cá, multiplicamos a produção por 10. O número de colaboradores subiu de dois para nove.”

Leia a matéria na íntegra, publicada no Estado de Minas.

Share on FacebookShare on Google+Pin on PinterestTweet about this on Twitter